O seguro residencial é uma proteção à casa, tendo por finalidade amparar o segurado em caso de danos ao seu patrimônio. Não somente a estrutura física de uma residência, mas também, em algumas opções, garantir tudo o que está dentro do imóvel (televisão, mesa, cadeira, estrutura elétrica, entre outros). Assim, o contratante fica a salvo de imprevistos que podem causar prejuízos financeiros e desgaste emocional. 

Um seguro residencial padrão sempre irá cobrir o imóvel em caso de incêndio, queda de raio ou explosões, de acordo com o Idec – Instituto Brasileiro de Defesa do Consumidor. Ele será calculado a partir do valor do apartamento/casa e de uma estimativa de custo dos bens que o integram. 

Porém, a partir do seguro residencial padrão, é possível adicionar outras coberturas, que serão cobradas à parte. Entre elas, as mais comuns são contra danos elétricos, roubo, vendaval, enchente e responsabilidade civil. A responsabilidade civil refere-se a algo que estava sob sua responsabilidade e prejudicou um terceiro, como no caso de o seu cachorro escapar da casa e machucar alguém, se uma planta cai da sua varanda e acerta uma pessoa ou se a reforma que você realizou no seu apartamento afetou a estrutura do apartamento do vizinho por exemplo. 

O cliente ainda pode escolher contratar os serviços de assistência 24 horas junto ao seguro residencial. As assistências contemplam serviços de chaveiro, encanador, eletricista, entre outros.

 

Vantagens de um Seguro Residencial 

A adesão de um seguro residencial trás uma ampla gama de vantagens para o segurado, entre eles incluem-se: 

  • proteção aos bens materiais enquanto você está fora de casa;
  • mais segurança e tranquilidade para a família toda;
  • prevenção contra prejuízos financeiros;
  • amparo que evita desgaste emocional;
  • ajuda para atender às cláusulas contratuais de aluguel;
  • possibilidade de contratação tanto pelo proprietário quanto pelo inquilino do imóvel.

Cuidados na hora de contratar um seguro residencial 

Antes de assinar o contrato, seja de um seguro residencial ou de qualquer outro tipo de seguro, é preciso escolher com cuidado a seguradora. Faça pesquisas junto às corretoras, confira se ela tem uma boa reputação no mercado e se está funcionando bem. Tudo isso ajuda a garantir que você não faça um mal negócio. 

O Idec – Instituto Brasileiro de Defesa do Consumidor, recomenda ainda que o consumidor atente-se ao questionário de avaliação de riscos (uma série de perguntas feitas pela seguradora). A companhia usará o documento como base para calcular o valor do seguro. É preciso ser absolutamente honesto nas respostas, pois se houver informações erradas a empresa pode deixar de pagar o seguro residencial em caso de sinistro.  

 

Acionando o Seguro Residencial

Em caso de sinistro, a recomendação é avisar imediatamente à seguradora para que o seguro residencial seja acionado. Além disso, é preciso informá-la sobre qualquer modificação realizada pelo morador após a ocorrência do sinistro. Não troque a chave da casa, caso tenha sofrido um roubo por arrombamento antes do funcionário da seguradora chegar. Se fizer isso, terá eliminado uma das provas de que você foi roubado e poderá começar uma discussão sobre a veracidade do fato. 

Em caso de vendaval, por exemplo, supondo que o telhado da casa tenha sido danificado e seja preciso removê-lo, só o faça depois de avisar a sua seguradora, pois ela irá lhe dar todas as orientações necessárias e você terá a uma prova de que o destelhamento realmente foi causado pelo vendaval. 

Recebimento da indenização

A indenização pode ser por meio da reparação dos danos, reposição dos bens por outro da mesma espécie ou em dinheiro. Após o cliente avisar a central de sinistros, a seguradora irá avaliar o ocorrido e solicitará a documentação do cliente. Em média, a indenização é paga em 30 dias após a entrega de toda a documentação.